terça-feira, 2 de setembro de 2014

Resenha de livros: Eleanor & Park

Sou viciada em leitura, mas até as férias de Julho, eu não tinha lido nenhum best seller. Eu sempre tive a impressão de que eles eram muito clichês e não retratavam a realidade de forma coerente. Mas meu preconceito acabou ao ler Eleanor & Park. Foi o livro moderno que eu mais gostei, e recomendo.

Por que eu gostei do livro?
Esse livro consegue nos levar para dentro da história e a situação em que os personagens vivem é bem real. Também gostei pelo fato dos capítulos serem curtos e narrados em terceira pessoa.  Da forma como é narrado, não é difícil lê-lo, não é enjoativo.

Sobre o que o livro fala?
O livro Eleanor & Park conta a história de um amor entre dois jovens na década de 80. Eleanor é uma jovem ruiva, que tem um estilo muito diferente das outras garotas da sua idade, e vive numa família conturbada, onde sofre constantes ameaças do padrasto e vê sua mãe sofrer agressões. Já Park é m rapaz de classe média, que vive em uma família unida, onde os pais se amam e seus avós são muito amorosos também. O único problema que Park enfrenta é o fato de ter uma visão diferente da de seu pai, o que causa

constantes conflitos entre eles.
Quando Eleanor chega à escola em que Park estuda, ela não é bem recebida, por caus de sua aparência. Com o tempo e a convivência, os dois se apaixonam e começam a namorar. Logo Park conta à sua família, que no princípio não concorda, mas pouco depois aceita. Já a menina Eleanor não diz nada à sua família, e eles enfrentam situações muito complicadas (ela e Park).

Frases que gostei:
Só o que faço quando estamos separados é pensar em você, e só o que faço quando estamos juntos é entrar em pânico. Porque cada segundo parece ser tão importante. E porque sou tão maluca, não me controlo. Não sou mais minha, sou sua; e se você resolver que não quer mais me ver? Como pode me querer como quero você? (Eleanor)

Sempre que via Eleanor, ele não conseguia mais pensar em se afastar. Não conseguia pensar em mais nada. A não ser tocá-la. A não ser fazer qualquer coisa que pudesse ou tivesse de fazer para vê-la feliz. (Park)

“Ela tinha o tipo de sorriso que você vê em um anúncio de pasta de dentes, onde você pode ver quase todos os dentes de alguém. ‘Ela deve sorrir o tempo todo’, ele pensou, o que fazia o rosto passar de estranho a bonito. Ele queria fazê-la sorrir constantemente.” (Park)

“- Não gosto de você, Park – ela confirmou, num tom que, por um segundo pareceu indicar que era sério mesmo. – Eu… – a voz dela quase desapareceu. – Eu acho que vivo por você. – Ele fechou os olhos e meteu o rosto no travesseiro. – Acho que nem respiro quando não estamos juntos – ela sussurrou. – O que significa que, quando te vejo na segunda de manhã foram umas sessenta horas sem respirar.” (Eleanor)


Bem, é isso. Se você também é um(a) romântico(a) incurável, leia esse livro! Ele mostra que não precisamos ter o padrão de beleza estabelecido pela mídia para amarmos e sermos amados. É lindo, não vai ser perca de tempo.
Quem leu esse livro, sinta-se livre para dar sua opinião. Quem não leu, também. E se quiser dar sugestão de posts, está mais que permitido para isso.

~Kate